Justiça nega insanidade mental do acusado de matar namorada no PI

A decisão da 2ª Câmara Especializada Criminal foi unânime, em harmonia com o parecer da Procuradoria-Geral de Justiça

O pedido de instauração de insanidade mental de José Ricardo da Silva Neto foi negado pela justiça piauiense e com isso o réu deve ir a Júri Popular em uma data a ser marcada. José Ricardo era tenente do Exército e foi expulso da corporação após ser acusado pelo Ministério Público pelo assassinato da namorada, Iarla Barbosa, no dia 19 de junho de 2017, na Zona Leste de Teresina.

A decisão da 2ª Câmara Especializada Criminal foi unânime, em harmonia com o parecer da Procuradoria-Geral de Justiça. O juiz entendeu não haver dúvida razoável acerca da sua capacidade psíquica.

José Ricardo, segundo a denúncia, atirou contra Iarla durante uma discussão dentro do carro depois que saíram de uma festa, na avenida Nossa Senhora de Fátima. Uma amiga e a irmã de Iarla também foram baleados e sobreviveram. As duas conseguiram sair do veículo e pediram socorro.

O acusado foi para o condomínio que morava, também zona leste, com o corpo da namorada no banco da frente do carro. Ele subiu para o apartamento e deixou o carro com o corpo no estacionamento. José Ricardo foi preso horas depois.

José Ricardo da Silva Neto f